Tempo de leitura: 7 minutos.

Vivemos, em 2021, um período de grandes incertezas. No noticiário, informações diárias de oscilação da Bolsa de Valores. Na política, a pressão para a volta de programas assistenciais aos trabalhadores e empresários durante a pandemia de coronavírus. Na economia, mudanças constantes. E em meio à turbulência do ano, surge a dúvida de quais são os 6 melhores investimentos em 2021.

De certa forma, a segunda onda da pandemia de Covid-19 era uma realidade esperada, mas a chegada dela mudou o comportamento do mercado, adiou planos dos brasileiros e despertou também questões como:

  • Devo investir na pandemia?
  • É seguro investir em 2021?
  • Por que investir na crise?

Por isso, este conteúdo se baseia em dúvidas como essas e vai esclarecer quais são os melhores investimentos para 2021 e como rentabilizar o dinheiro nesta época.

Boa leitura!

Mercado Financeiro em 2021

Antes de tudo, é importante resumir a realidade do mercado financeiro no primeiro semestre de 2021, período da segunda onda da pandemia de Covid-19. A princípio, o início da campanha de vacinação contra o coronavírus reanimou a economia. Mas o otimismo durou pouco.

Com a escalada de novos casos e de internações entre janeiro e março, governos estaduais e municipais voltaram a endurecer as medidas de distanciamento, o que causou reação do mercado e provocou a alta do dólar, oscilação na Bolsa e incertezas dos investidores de todo o mundo.

Vacina da Covid-19 (Foto: Instituto Butantan)

Além disso, 2021 teve a revelação de um dado já esperado, mas que desanimou mesmo assim: o PIB (Produto Interno Bruto) apresentou o pior tombo em 25 anos, com retração de 4,1%. Já o anúncio de troca do presidente da Petrobras provocou queda das ações da estatal. Dessa forma, a XP rebaixou a recomendação dos títulos de “neutro” para “venda”.

Mais tarde, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin anulou todas as condenações do ex-presidente Lula na Lava Jato, o que o torna elegível. Assim, o Ibovespa caiu por alguns dias, enquanto o dólar subiu.

Mas não para por aí.

A alta da inflação provocou a disparada de preço de produtos muito consumidos. Entre eles, os combustíveis, o gás de cozinha e os alimentos.

Tudo isso mostra que, de fato, o cenário econômico está turbulento. Nesse sentido, a pergunta que fica é: devo investir em 2021?

Vamos respondê-la nas linhas abaixo.

Devo investir em 2021?

Primeiramente, para responder essas perguntas, é necessário compreender qual é o seu perfil de investidor – que pode ser conservador, moderado ou agressivo. Os conservadores, por exemplo, que costumam ser mais novos no mercado, preferem os produtos com liquidez e resgate em curto prazo.

Assim, é importante, nesse caso, optar por investimentos menos voláteis, já que as oscilações atuais podem acarretar em perdas financeiras se o resgate for feito em pouco tempo.

Por isso, é fundamental definir uma quantidade de dinheiro que poderá ficar por mais tempo aplicada. Dessa forma, as chances de boa rentabilidade aumentam, já que a economia vai reaquecer depois da crise sanitária. Em outras palavras, ações que hoje custam pouco, por causa do pior desempenho do mercado, por exemplo, ficarão valorizadas.

Nesse sentido, a resposta é que é possível investir em 2021!

Os 6 Melhores Investimentos em 2021

Agora que você sabe que dá para aplicar dinheiro mesmo em um ano turbulento, conhecerá alguns investimentos para quem deseja rentabilizar mais do que na poupança.

Mas antes, lembramos que os tipos de aplicação se dividem em:

  • Renda fixa: esses investimentos permitem que o consumidor saiba mais precisamente, já no momento de investir, qual vai ser a rentabilidade – o retorno do valor aplicado. A poupança é um dos produtos mais conhecidos.
  • Renda variável: são os tipos de investimento em que a rentabilidade depende de fatores, como inflação e outros indicadores, e geralmente são a aposta de quem deseja um rendimento maior.
B3, a Bolsa de Valores brasileira (Foto: Divulgação)

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um dos tipos de investimentos mais comuns, já que maioria dos bancos tem o produto para oferecer aos clientes. No entanto, corretoras oferecerem a modalidade com rentabilidade bem maior que a das instituições tradicionais.

Em resumo, o CDB é um “empréstimo” para os bancos operarem. Esse dinheiro é usado e devolvido com a acréscimo de juros.

A rentabilidade do CDB varia, porque o produto pode ser prefixado, pós-fixado ou atrelado à inflação. No caso do CDB pós-fixado, o principal indicador da remuneração é a taxa do CDI (Crédito de Débito Interbancário). A liquidez (período em que o investimento passa a render) também varia. O CDB tem opções de liquidez apenas no vencimento e também de render diariamente.

Uma das vantagem de adquirir o CDB nas corretoras de seguro é que elas oferecem o título de diversos bancos, aumentando a possibilidade de escolhas. Uma dessas empresas é a XP Investimentos, considerada a melhor do Brasil.

Títulos Públicos Federais

Ao contrário do CDB, o dinheiro é emprestado ao governo federal. O Tesouro Direto é a plataforma que negocia os Títulos Públicos Federais.

O Tesouro Direto também conta com mais de um tipo de liquidez. Quem investe no prefixado, por exemplo, pode saber a remuneração exata. É importante, nesse caso, manter o dinheiro investido até a data do vencimento. Por outro lado, no título pós-fixado, os juros variam de acordo com a taxa Selic (Taxa Básica de Juros) e o IPCA – índice oficial da inflação.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento são coletivos e administrados por gestores. São compostos por recursos de muitos investidores (cotistas) para a aplicação em diferentes meios. Nessa modalidade, as opções de investimentos vão das mais simples e baratas até as mais complexas.

No fundo de investimento, os gestores decidem para quais tomadores o dinheiro será destinado. Esse produto tem variados graus de risco. Dessa forma, costuma ser uma ótima oportunidade para pessoas mais iniciantes – que buscam diversificar a carteira e ter rentabilidade maior do que a da poupança –, e para os investidores agressivos.

A modalidade tem a incidência de taxa de administração, e rentabilidade e o prazo de resgate também variam no fundo de investimento. Pela maior complexidade nas movimentações nesse tipo de produto, é importante contar com a ajuda de um especialista em investimentos.

Fundo Imobiliário

Bem como no fundo de investimento, os investidores se reúnem para aplicar o dinheiro no fundo imobiliário – tanto em construção de empreendimentos quanto em imóveis prontos. Nesse sentido, quem investiu garante parte do retorno da receita desses bens – aquelas originadas do pagamento de aluguel, da venda e do arrendamento, por exemplo.

A rentabilidade do fundo imobiliário é mais volátil, portanto, há a sensação constante de ganhos e perdas dependendo do momento.

Ações

As ações são um dos tipos mais conhecidos de investimentos e representam parte do capital social de uma empresa. Quem compra ações na Bolsa de Valores se torna sócio da empresa.

No Brasil, a B3 (Brasil Bolsa Balcão) é a principal responsável por administrar as ações. As corretoras de investimentos intermedeiam a compra e a venda desses papéis (como também são chamadas as ações).

É importante ressaltar que a rentabilidade de uma ação depende do desempenho da empresa. Por isso, é importante ficar atento à reputação dela no mercado.

COE

O COE (Certificado de Operações Estruturadas) é um “pacote” que reúne produtos de renda fixa e variável para diversificar a carteira de investimentos.

Com os COEs, o investidor consegue ter melhor previsão da rentabilidade e também de uma série de possibilidades, tanto de ganhos quanto de perdas. A versatilidade permite que esse “combo” seja voltado para investidores conservadores e para os agressivos.

Existem COEs que garantem o retorno do valor investido (COE de Valor Nominal Protegido). Por outro lado, há aqueles que têm maior grau de risco e oferecem maior rentabilidade (COE de Valor Nominal em Risco).

Debêntures

As debêntures são títulos de empréstimo para as empresas, que são devolvidos com juros aos “doadores” (pessoas que aplicam o dinheiro). Por serem de renda fixa, o investidor consegue saber o quanto vai resgatar no dia do vencimento.

Existem diversos tipos de debêntures, com diferentes características e perfis de público. A rentabilidade é dividida em prefixada, pós-fixada e com remuneração híbrida.

Como e onde investir na pandemia?

A escolha dos melhores tipos de investimentos para 2021 depende de vários fatores como idade, objetivos, tempo de retorno e perfil. Tomar uma decisão mais assertiva para começar a investir não é algo fácil de se fazer sozinho, já que o mercado financeiro está cada vez mais diversificado, ao mesmo tempo em que mundo sofre mudanças constantes no cenário econômico.

O atual momento exige ainda mais cautela para que seja possível ter melhores resultados financeiros.

Portanto, o recomendado para quem deseja saber como e onde investir durante a crise é procurar por um AAI (agente autônomo de investimentos), credenciado pela CVM (Comissão de Valores Monetários) e que ajuda a identificar os melhores caminhos para aplicar o dinheiro, de acordo com a movimentação do mercado e os acontecimentos, por exemplo.

E é importante dizer que existem investimentos isentos de Imposto de Renda. Veja quais são.

Investir com segurança

Durante a pandemia de Covid-19, o receio de quem está pensando em investir é ainda maior com relação aos riscos dos investimentos e a segurança. Em resumo, existem três tipos de riscos no mercado financeiro: risco de mercado, risco de crédito e risco de liquidez.

Mas é importante ressaltar que a escolha de um escritório de investimentos com profissionais qualificados é uma das melhores formas de evitar prejuízos financeiros. Isso porque essas pessoas têm grande reputação no mercado e estão em constante capacitação para acompanhar a demanda do universo financeiro.

Conclusão

Você viu, neste post, que a economia está sempre em movimento. Ou seja, o atual cenário turbulento não é um motivo para deixar de investir e, sim, ter mais cautela e escolher melhor os produtos de investimento.

Mostramos também que é mais adequado investir aquele dinheiro que você não precisará usar em curto prazo. Dessa maneira, será possível ter melhores resultados em relação ao rendimento, já que, depois da pandemia, o mercado vai reaquecer.

Sem dúvidas, é preciso ficar atento aos acontecimentos e tomar decisões melhores para evitar prejuízos com o dinheiro. Assim, é importante ter um assessor de investimentos por perto.

Enfim: pesquisando mais sobre investimentos e tendo suporte de um especialista, você conseguirá rentabilizar melhor o seu dinheiro e encontrar os melhores investimentos para 2021.

Qualquer dúvida, converse com um especialista. Agende uma reunião.

Até o próximo post!

Acompanhe mais informações de investimentos no Blog da Ethimos

Fernando Jacomini

Fernando Jacomini

Jornalista, redator e editor de conteúdo. Atua no Blog e na assessoria de imprensa do Grupo Ethimos.

Deixe um comentário