Tempo de leitura: 2 minutos.

O Ibovespa fechou em ligeira alta de 0,6% na segunda-feira (2), aos 122.515 pontos, impulsionado sobretudo pelos papeis do setor financeiro, ao passo que a queda de 1,9% das ações da Petrobras teria limitado os ganhos do índice. Os futuros do barril do petróleo tipo Brent caíram 2,9%, a US$ 73,24, em meio a preocupações com a economia chinesa, o que prejudicou a estatal brasileira.

DI jan/22 fechou em 6,3%; DI jan/24 encerrou em 8,47%; DI jan/26 fechou em 8,95%; e DI jan/28 foi para 9,18%.

Internacional

Bolsas amanhecem levemente positivas (EUA +0,4% e Europa +0,4%) após dados indicarem que a atividade industrial americana apresenta expansão robusta: apesar da desaceleração em relação ao mês passado, 17 dos 18 subsetores industriais expandiram em julho. Além disso, o país atingiu a marca de 70% da população vacinada.

No Senado americano, o calendário apresentado por lideranças democratas para a aprovação do pacote de infraestutura, que já era apertado, enfrenta um novo desafio: o teste positivo do senador Lindsey Graham para a Covid-19. Graham, que afirmou já ter sido vacinado, é o primeiro membro da Casa a testar positivo após relaxamento de restrições no Congresso. Dessa forma, algumas reuniões devem ser realizadas de forma virtual nesta semana, o que deve levar a atrasos no tratamento do projeto. Lideranças democratas agora procuram despachar o tema na semana que vem, não nesta semana, conforme inicialmente planejado.

Já na China (0,0%), ações ligadas a games caíram por publicação do governo ressaltar os impactos negativos dos videogames no desenvolvimento infantil; o artigo foi deletado poucas horas depois.

Brasil

Os riscos fiscais voltaram a subir. Nesta terça-feira (3), o Congresso retoma seus trabalhos com perspectivas de avanço na reforma tributária e discussão sobre a PEC dos Precatórios, que deve abrir espaço para o novo programa de transferência de renda do governo.

Sobre a PEC, o governo se reuniu com Arthur Lira e Rodrigo Pacheco pra tratar de detalhes do texto: a proposta envolve o adiamento do pagamento de precatórios nos momentos em que este estiver acima de um determinado percentual da receita líquida do governo – como é o caso sinalizado para 2022.

Ainda do lado fiscal, a imprensa sugeriu que o governo quer dobrar o programa Bolsa Família; se esse for o caso, a regra do teto de gastos teria que mudar, a fim de acomodar o novo programa. Membros do governo negam, indicando que o plano de aumento é mais limitado. Arthur Lira disse à XP Política que o respeito ao teto deve ser mantido e que não está em discussão um programa permanente com benefício médio de R$ 400.

**Com informações da XP

Leia mais sobre investimentos e mercado financeiro no Blog da Ethimos

Deixe um comentário