Neste artigo, você descobrirá como o PIB afeta a economia, como é calculado e os impactos dele nos investimentos.

Quando falamos sobre a economia de um país, o PIB é um dos principais indicadores. Além de atuar como um termômetro, ele também serve para atrair investidores

Continue a leitura e entenda o que é o PIB e como ele afeta a economia e o seu bolso.

O que é o PIB 

Antes de mais nada, saiba que PIB é a sigla para Produto Interno Bruto. Muitas pessoas acreditam que ele representa a riqueza total de um país. 

Mas, na realidade, esse indicador é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos pelo país por um período.

Todos os países calculam o PIB nas suas respectivas moedas. No Brasil, o cálculo é feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O que é o PIB per capita?

O Produto Interno Bruto per capita, ou por pessoa, mede quanto do total produzido pelo país cabe a cada habitante se todos tivessem partes iguais.

Ou seja, trata-se de uma divisão do PIB em valores (R$) pelo número de habitantes de um país. 

Quanto maior o PIB melhor?

Na teoria, quanto maior o PIB por pessoa, maior é o acesso a serviços e qualidade de vida. 

Entretanto, o PIB não mostra a distribuição de renda, qualidade de vida, os níveis de saúde e educação. 

Sendo assim, um país pode ter um PIB pequeno e, ao mesmo tempo, um alto padrão de vida.

Qual a diferença entre o PIB Real e o PIB Nominal?

O PIB Nominal é o cálculo feito com base em todas as características econômicas do ano em que o produto ou serviço foi produzido e comercializado. 

Já o PIB Real leva em consideração apenas um ano-base e usa preços constantes, descontando a inflação

Como no PIB Real ignora-se o impacto da inflação nos preços, ele é ideal para acompanhar se realmente o país se tornou mais eficiente de um ano para o outro.

Para que serve o PIB?

O PIB funciona como um indicador da economia e, dentre as suas funções, podemos citar:

  • Acompanhar se a eficiência do país crescendo
  • Comparar o desenvolvimento econômico entre nações
  • Entender se as pessoas e empresas estão gastando mais ou menos
  • Analisar se a economia melhorou ou piorou em um período

Como o PIB é calculado?

Para calcular o PIB, o IBGE usa diversos dados, sendo eles:

  • Balanço de pagamentos (Banco Central)
  • Declaração de Informações 
  • Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica — DIPJ (Secretaria da Receita Federal)
  • Índice de Preços ao Produtor Amplo — IPA (FGV)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo — IPCA (IBGE)
  • Produção Agrícola Municipal — PAM (IBGE)
  • Pesquisa Anual de Comércio — PAC (IBGE)
  • Pesquisa Anual de Serviços — PAS (IBGE)
  • P. Orçamentos Familiares — POF (IBGE)
  • Pesquisa Industrial Anual-Empresa — PIA-Empresa (IBGE)
  • P. Industrial Mensal — Produção Física — PIM-PF (IBGE)
  • Pesquisa Mensal de Comércio — PMC (IBGE)
  • Pesquisa Mensal de Serviços — PMS (IBGE)

O cálculo pode ser feito de três formas, no entanto, todas devem sempre chegar ao mesmo resultado.

Veja os jeitos de calcular o PIB: 

Oferta

Nesse cálculo, soma-se tudo o que foi produzido durante o período de análise. Entram nessa conta os resultados da agropecuária, da indústria e dos serviços. 

Demanda

A segunda forma de calcular o PIB é somando tudo o que foi gasto no país ao longo do período a ser analisado.

Para essa conta, consideramos o consumo das famílias, os gastos do governo e os investimentos das empresas e do governo e a balança comercial. 

Renda

Por último, temos o cálculo de todas as remunerações. Aqui entram os salários, juros, aluguéis e lucros distribuídos.

Como fazer o cálculo do PIB?

A fórmula irá variar de acordo com o tipo de conta que você quer fazer. Ou seja, para o cálculo de Renda é uma fórmula e para a conta de Oferta é outra. 

Apresentaremos as 3 fórmulas, mas, antes, é importante que você entenda o significado de cada sigla. Confira abaixo: 

  • C = Consumo das famílias
  • I = Investimento (FBKF + VE)
  • G= Gastos do governo
  • X = Exportações
  • M = Importações

Para calcular o PIB simples, usa-se a fórmula: 

C + I + G + X – M

Para o PIB com a ótica da oferta:

PIBpm = ∑ VAB + Impostos indiretos – Subsídios

PIB pela ótica da renda

PIBpm = Salários + EOB + Impostos Indiretos – Subsídio

O que impacta no PIB?

O principal fator que impacta diretamente no PIB é o consumo. Assim, quando empresas, o governo e os cidadãos gastam mais dinheiro, o mercado esquenta e a economia gira.

Imagine a seguinte situação: A prefeitura da sua cidade decide fazer obras nas ruas de diferentes bairros. Para isso, ela investe dinheiro na contratação de empresas para fazer esse serviço que, por sua vez, contrata funcionários para dar conta da demanda. 

É dessa forma que o PIB afeta a economia

Com dinheiro no bolso, os funcionários têm condições de fazer compras e contribuir para que a economia continue girando. 

Qual é o PIB do Brasil em 2022?

O PIB do Brasil em 2022, no 1° trimestre, totalizou R$ 2,2 trilhões.

Quais as maiores economias do mundo em 2022?

As três maiores economias que compõem o TOP 3 são: 

PaísPIB
Estados UnidosUS$ 25,45
ChinaUS$ 19,91
JapãoUS$ 4,912

O Brasil ficou em 9° entre 32 países no ranking de melhor alta do PIB no primeiro trimestre de 2022. 

Como o PIB afeta a economia e os investimentos?

Os maiores impulsionadores do PIB são os investimentos privados e o consumo das famílias. Juntos, são responsáveis por 80% do PIB brasileiro.

Quando o PIB cresce, os investimentos no setor produtivo se tornam mais interessantes por oferecerem rendimentos maiores do que os de Renda Fixa e a poupança. 

Contudo, esse cenário muda se o crescimento da economia for acompanhado pela alta da inflação. 

Nessa situação, o Banco Central usa os juros como ferramenta para tentar conter o aumento de preços.

Para isso, é usada a Taxa Selic. Ela sobe para aumentar os juros e diminuir a quantidade de crédito no mercado. 

A Selic não impacta somente os juros usados pelos bancos, mas também serve para regular a rentabilidade de muitos investimentos do mercado financeiro. 

Quando os juros estão altos, a tendência é que haja uma mudança dos investimentos no setor produtivo para o setor financeiro.

Nesse cenário, os juros são usados para desaquecer o consumo e a produção, favorecendo os investimentos em renda fixa, como os títulos públicos, debêntures e letras de créditos.

Por outro lado, quando o PIB encolhe, o Copom diminui a Selic para estimular o consumo – o que diminui os ganhos dos papéis de Renda Fixa e faz com que fiquem menos atrativos para o investidor. 

Agora que você já sabe como o PIB afeta a economia e seus investimentos, que tal conversar com um de nossos assessores de investimentos? Ele irá te auxiliar da melhor forma para que você alcance o sucesso financeiro que merece!  

5/5 - (51 votes)
Isabelle Miranda

Isabelle Miranda

Jornalista e Assessora de Imprensa

Deixe um comentário