Se você quer conhecer todas as moedas do Brasil, está no lugar certo! Desde a independência, em 1822, o Brasil já teve nove trocas de padrão monetário e sete moedas!

Mas, qual o motivo para tantas trocas? 

Dos réis ao real, o motivo era um só: a inflação. Se o Brasil tivesse mantido a mesma moeda, hoje seriam necessários milhões de cruzeiros para comprar um pão, por exemplo. 

Depois dos réis – que ficaram mais de 400 anos em circulação -, o real é a segunda moeda do Brasil com mais tempo de circulação: 26 anos.

Continue a leitura e descubra quais foram as moedas do Brasil 

Moedas do Brasil

Réis – do período colonial a 1942

Como o Brasil era colônia de Portugal, o padrão monetário do período era o mesmo da metrópole: o real. 

Os reais (plural de real) ficaram popularizados como réis e, mesmo com a Independência do Brasil e a Proclamação da República, eles se mantiveram. No entanto, as gravuras das moedas e das cédulas foram alteradas.  

Cruzeiro – de 1942 a 1967

A primeira mudança de padrão da moeda do Brasil foi a instituição do Cruzeiro. A nova moeda unificou os 56 diferentes tipos de cédulas em circulação no país. 

Um cruzeiro (Cr$ 1,00) equivalia a mil réis (Rs 1$000). Em 1964, devido à inflação, a fração do cruzeiro chamada centavo deixou de existir.

Símbolo: Cr$

Cruzeiro Novo – de 1967 a 1970

Em 1967, com a inflação a 25%, o Cruzeiro se desvalorizou e a moeda foi substituída temporariamente pelo Cruzeiro Novo.

As cédulas do Cruzeiro foram carimbadas com novos valores e reutilizadas como Novo Cruzeiro. 

Um Cruzeiro Novo (NCr$ 1,00) correspondia a mil Cruzeiros antigos (Cr$ 1.000,00).

Símbolo: NCr$

Cruzeiro – de 1970 a 1986

Após a reforma monetária, a moeda brasileira voltou a se chamar Cruzeiro. A equivalência das moedas se manteve o mesmo, ou seja, um cruzeiro (Cr$ 1,00) valia um Cruzeiro Novo (NCr$ 1,00).

Símbolo: Cr$

Cruzado – de 1986 a 1989

Com a inflação nos anos 80 chegando a mais de 100%, a economia brasileira ficou em crise novamente. 

Desvalorizado, o Cruzeiro foi substituído pelo Cruzado. No Plano Cruzado, do governo de José Sarney, um cruzado (Cz$ 1,00) equivalia a mil cruzeiros (Cr$ 1.000,00).

Símbolo: Cz$ 

Cruzado Novo – de 1989 a 1990

Poucos anos depois da instituição do Cruzado, a inflação continuou a subir e obrigou o presidente Sarney a fazer uma segunda reforma monetária. 

Sendo assim, em 1989 o Cruzado foi substituído pelo Cruzado Novo, que – novamente – tinha três zeros a menos. 

Um cruzado novo (NCz$ 1,00) valia mil cruzados antigos (Cz$ 1.000,00).

Símbolo: NCz$

Cruzeiro – de 1990 a 1993

Pela terceira vez, o Cruzeiro volta a ser as moedas do Brasil, em 1990. 

Nesta ocasião, não houve corte de zeros. Dessa forma, um cruzeiro (Cr$ 1,00) correspondia a um cruzado novo (NCz$ 1,00). 

Símbolo: Cr$

Cruzeiro Real – de 1993 a 1994

Após a renúncia de Collor, o vice-presidente Itamar Franco fez uma nova reforma monetária. 

Nela, o Cruzeiro saiu de cena de vez e foi instituído pelo Cruzeiro Real, novamente reduzindo três zeros nas cédulas. 

Um cruzeiro real (CR$ 1,00) equivalia a mil cruzeiros (Cr$ 1.000,00).

Símbolo: CR$

Real – de 1994 aos dias atuais

Em 1994, se consolida o projeto econômico Plano Real, feito pelo então Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso (FHC), ainda no governo de Itamar Franco. 

O projeto tinha como objetivo conter a inflação extremamente elevada que assolava o Brasil há anos.

Símbolo: R$ 

Qual a moeda mais antiga do Brasil?

A moeda mais antiga do Brasil é o dobrão de  20 mil réis, considerada uma das primeiras a serem produzidas no Brasil. 

Ela foi cunhada entre os anos 1724 e 1727, na Casa da Moeda de Vila Rica, Minas Gerais, e circulou até meados da proclamação da República.

O dobrão de 20 mil réis tem 53,8 gramas e é considerada uma das mais pesadas que já existiram no mundo. 

Qual é a moeda mais procurada do Brasil?

A moeda mais procurada do Brasil é a de 1 real em comemoração ao cinquentenário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. 

O que determina o alto valor de uma moeda é a sua raridade e o seu estado de conservação e a moeda de 1 real teve apenas 600.000 unidades.

Como a política monetária afeta a economia e os investimentos?

Embora esteja muito presente no dia a dia dos brasileiros, muitas pessoas ainda não sabem o que é a política monetária e como ela funciona.

Basicamente, a política monetária tem um papel de fundamental para o desenvolvimento da estrutura financeira do país.

Trata-se de um conjunto de medidas que um governo adota para controlar a oferta da sua moeda na economia, ou seja, a sua liquidez.

Sendo assim, esse tipo de política praticada pelo Estado pode impactar diretamente a inflação e a taxa de juros de um país.

O principal objetivo da política monetária é deixar a inflação sob controle e, para isso, existe um regime de metas de inflação.  

E como ela afeta os investimentos?

É a Política Monetária que vai determinar se será mantida ou alterada a Selic. A taxa básica de juros afeta diretamente o mercado financeiro e, consequentemente, os investimentos.

Ao alterar a Selic, o valor da moeda é impactado, assim como os preços e o poder de compra da população.

Conclusão

Agora que você já conhece todas as moedas do Brasil e sabe como funciona a política monetária, que tal conversar com um de nossos assessores de investimentos?

Ele irá te auxiliar da melhor forma para que você alcance o sucesso financeiro que merece!

5/5 - (1 vote)
Isabelle Miranda

Isabelle Miranda

Jornalista e Assessora de Imprensa

Deixe um comentário